O isolamento social evidencia a importância da arte e sua consumação na internet

Há três meses estamos vivendo em um isolamento social por causa da pandemia de Covid-19, e embora nem todos tenham consciência disso, a arte vem se mostrando de suma importância e está sendo consumida de forma abundante na internet.

Ilhados em casa e sem perspectivas de retorno ao cotidiano ‘normal’, as pessoas buscam a arte para entretenimento, estudo e reflexão. No entanto, boa parte desses cidadãos não sabe ao certo o que é um artista e ele acaba sendo visto como dispensável.

Roteiristas, fotógrafos, cinegrafistas, editores de áudio, atores, instrumentistas e designers são exemplos de artistas que acabam por serem ignorados para o consumidor final do ofício.

Mas enfim, o fato é que a arte no geral sempre precisou do contato intimista do apreciador, coisa que atualmente não é possível. A arte é uma das poucas veredas que nos fazem capazes de ponderar sobre nossa febril existência nesse firmamento.

 

O isolamento social evidencia a importância da arte e sua consumação na internet
Nighthawks – Edward Hopper American, 1882–1967

 

Além disso, a importância econômica da arte é inquestionável, a economia criativa nacional representa cerca de 2,64% do PIB brasileiro e emprega mais de 500 mil pessoas, segundo o estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJAN).

A arte, principalmente a conceitual, tende, a ter um certo preconceito quanto à internet, no entanto, esses muros estão sendo quebrados nesses últimos meses. Sem possibilidade de interação presencial com o público, o ofício está usufruindo da rede de acesso mundial.

Um exemplo é a Orquestra Sinfônica do Paraná que sob a regência de Stefan Geiser, gravou uma versão de ‘Trenzinho do Caipira’, de Villa-Lobos, onde cada músico estava em sua casa. A apresentação que ainda contou com a participação especial da cantora Uyara Torrente pode alcançar um público que nunca chegou a estar na plateia de um concerto.

A visita virtual em museus também é capaz de expandir a apreciação artística dos internautas. Um dos que disponibilizam essa opção é a Pinacoteca do Estado de São Paulo, onde é possível não só acessar o acervo, mas o próprio espaço digitalizado do museu. Também é possível fazer um tour pelo Museu-Casa Guimarães Rosa, que fica em Cordisburgo (MG), e no Museu-Casa Cora Coralina, em Goiás (GO).

 

O isolamento social evidencia a importância da arte e sua consumação na internet
American Collectors (Fred and Marcia Weisman) – David Hockney English, born 1937

 

De fato, artistas que possuem uma carreira sólida e vasta apreciação pública se saem bem na internet, conseguindo monetizar seu trabalho. O problema é que a maioria dos profissionais da arte não tem tal impacto no mundo virtual e só conseguem sobreviver por meio da interação presencial do público.

Por isso o poder público trabalha para auxiliar esses artistas, no entanto boa parte das medidas ainda não saiu do papel. O projeto de lei 1.075/2020 que dá aos artistas o direito ao auxílio emergencial está aguardando sanção do presidente Jair Bolsonaro, e o projeto de lei 075/2020 que visa ações emergenciais destinadas ao setor cultural está aguardando aprovação do Senado.

Mas enfim, embora evidentemente a arte em sua forma presencial não possa ser substituída, o uso da tecnologia em sua difusão se mostra importante agora e depois do fim da pandemia.

 

×

Oi!

Clique para conversar no WhatsApp ou envie-nos um email para contato@crio.art

×