Bienais de Berlim, Veneza e Liverpool são adiadas, confira as novas datas

The 11th Berlin Biennale should take place this June, but it was postponed because of the Covid-19 pandemic. Like others around the world, it had a new date announced, and it will still be this year.

The event that will have María Berríos, Renata Cervetto, Lisette Lagnado and Agustín Pérez Rubio as curators will take place between September 5 and November 1, 2020.

 

A 11ª edição da Bienal de Berlim deveria acontecer já nesse mês de junho, no entanto acabou sendo adiada por causa da pandemia de Covid-19. Assim como várias ao redor do mundo, ela teve uma nova data divulgada, e ainda será nesse ano.

O evento que terá María Berríos, Renata Cervetto, Lisette Lagnado e Agustín Pérez Rubio como curadores acontecerá entre os dias 5 de Setembro e 1 de Novembro de 2020.

A Bienal de Berlim, assim como todas as outras, terá um peso maior do que o que já detém. Dentre as mais famosas, ela será uma das primeiras a acontecer depois desse fenômeno histórico que estamos vivendo.

O evento terá um significado novo, onde com toda certeza as características da pandemia serão exploradas, principalmente no impacto que ela teve sobre a classe artística e na sociedade em geral.

 

Bienais pelo mundo

Outra bienal famosa que devemos destacar é a Bienal de Sidney, a 22ª edição está com datas estendidas, ela começou nesse mês e se empliará até meados de Setembro.

“A Bienal de Sydney e todos os locais de exibição estão seguindo diretrizes rígidas do governo de NSW, com base em conselhos de saúde pública, para ajudar a manter nossos visitantes e funcionários em segurança e impedir a transmissão de COVID-19

 

Com o tema ‘The Stomach and the Port’ (O Estômago e o Porto), a 11ª Bienal de Liverpool também precisou ser adiada. Ela contaria com a participação dos artistas brasileiros Sonia Gomes (1948) e Jorge Menna Barreto (1970).

O evento precisou ser adiado sob a justificativa de zelar pela saúde de todos. ‘Seguindo as indicações das autoridades de saúde inglesas, e da Organização Mundial de Saúde, reconhecemos que não seria possível ou responsável apresentar o programa previsto’, informam. O evento foi adiado para 2021.

View this post on Instagram

For nearly 50 years, the Biennale of Sydney has presented some of the most dynamic contemporary art from around the globe in iconic venues across Sydney. This year’s exhibition, titled NIRIN and meaning ‘edge’ in Wiradjuri, is an artist- and First Nations-led biennale showcasing more than 700 artworks by 101 artists and collectives. A global platform for diverse cultures and perspectives, the Biennale unites people across the world, stimulating dialogue and inspiring change. The COVID-19 pandemic and potential impact on the safety of our visitors, artists, staff and wider community remains our top priority. And so, in line with the latest advice from Government authorities, the Biennale of Sydney is closing its public exhibitions from Tuesday, 24 March 2020 until further notice. We will continue to adapt and innovate in the face of this global crisis. Our doors close across Sydney, and they will open online – for everyone, everywhere across the world. We remain steadfastly committed to the artists and communities we serve by moving to a digital program. Working with long-time Biennale partner Google – and in a first for the Biennale of Sydney – audiences around the world will be able to engage with NIRIN on the Google Arts & Culture platform. Creating a virtual Biennale will bring the exhibition and programs to life through live content, virtual walk-throughs, podcasts, interactive Q&As, curated tours and artist takeovers. At times like these, it is more important than ever that we find ways to connect, to help each other, listen, collaborate and heal – all core themes of NIRIN. The Biennale remains artist-led and will allow our artists to lead the way in responding to the urgent social, political, and environmental issues we are facing today. We are shifting to digital programs, sharing more in coming weeks. We look forward to welcoming you back to the physical exhibition when our Government authorities deem it safe to reopen. Until then, we encourage everyone to look after one another during this challenging time, and when you go looking for connections in isolation, engage online.

A post shared by Biennale of Sydney (@biennalesydney) on

No caso da Bienal de Veneza, que esse ano teria a 17ª Exposição Internacional de Arquitetura, foi adiada para 2021. Por consequência, a 59ª Exposição Internacional de Arte que seria no ano que vem, foi adiada para 2022.

O curador Hashim Sarkis afirmou que ‘os últimos dias esclareceram o estado real da situação que estamos enfrentando. Com o maior respeito pelo trabalho realizado por todos nós, pelos investimentos realizados pelos participantes e considerando as dificuldades que todos os países, instituições, universidades e estúdios de arquitetura enfrentaram com a incerteza dos embarques, restrições de viagens e medidas de proteção contra o COVID-19 que estão sendo adotadas, decidimos ouvir a maioria que solicitou o adiamento da Bienal de Arquitetura’.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

×

Oi!

Clique para conversar no WhatsApp ou envie-nos um email para contato@crio.art

×